Blog

#EuAcreditoEuFaço





O QUE VOCÊ REALMENTE GOSTARIA DE MUDAR EM SUA VIDA?

Mudar causa medo né?!
As mudanças trazem tantos sentimentos desconfortáveis que Sigmund Freud disse: Expandir-se, competir, vencer, em quaisquer tipos de atividades ou área, pode significar para o indivíduo crescer, tornar-se adulto e... Consequentemente um ser apavorado com a possibilidade desse triunfo.
Após uma sequência de artigos reveladores como tivemos nas duas últimas semanas de Maio (se você ainda não leu corre no Blog e leia) chegamos ao terceiro tema: A mudança. Acompanhe...

Como terapeuta, por vezes, eu me pego observando o quanto as pessoas têm necessidade de transformação enrustida. Tanta necessidade de “mudar algo” que acabam mudando o visual, mudando de carro, de casa e até de emprego, transferindo suas necessidades de mudanças internas ao externo. Um anseio pela mudança como forma de auto aceitação e para provar o quanto importantes são aos outros.
Certa ocasião, eu vi uma jovem mudar o visual de seu cabelo por três vezes no período de 20 dias. Vi também um instrutor de academia fazer três tatuagens (enormes, daquelas que levamos tempo para decidir) de uma só vez, e uma mulher que conversava com mais de dois pretendentes ao mesmo tempo.
O que explica tais comportamentos? Indecisão, insegurança, aceitação? Mas a resposta é bem simples: Necessidade de transformação silenciada.
O fato é que a maioria das pessoas querem mudar suas vidas, entretanto essa necessidade de transformação só se torna um problema quando o foco de mudança chega de maneira compulsiva e exagerada. Continue lendo.
Não é novidade para a psicologia que quando reprimimos uma necessidade/sentimento ele tende a explodir de outro jeito... E por tanto reprimirem um sentimento de mágoa, raiva ou descontentamento, por exemplo, algumas pessoas acabam descontando suas emoções nos vícios, no sexo obsessivo, na codependência entre outros comportamentos destrutivos para aliviarem suas dores emocionais, frustrações e insatisfações. O mesmo ocorre com as mudanças, quando reprimidas elas tendem a encontrar outra maneira de se impor.
Pessoas que se sentem infelizes com suas vidas atuais buscam no externo uma mudança que precisam fazer em seu interior. Agora a pergunta que não quer calar é: “O que você realmente gostaria de mudar em sua vida”?
Seja o que for, por favor, então mude e mude logo! “Mude de uma vez aquilo que você pode/deseja transformar antes que seu inconsciente encontre outras maneiras de suprir este anseio”.
Friedrich Nietzsche já dizia: Não é só a razão, mas também a nossa consciência que se submetem ao nosso instinto mais forte que habita em nós. Ou seja, de um jeito ou de outro, esta aspiração interna pela transformação encontrará outro meio de se expressar se, você não agir agora.
Afinal, pessoas que se negam, reprimem ou silenciam a pretensão e os ciclos das mudanças acabam caindo no ridículo, despertando a depressão, frustração e até mesmo o hábito da transferência de necessidades internas para o externo. Que são os exemplos descabidos que vimos acima: o excesso de tatuagens de uma só vez, a transformação desequilibrada do visual e a carência insaciável.
Pronto! Uma vez que você já entendeu que impedir as mudanças naturais que acontecem no decorre da vida ou simplesmente evitá-las por medo do novo gera frustração e transferência de manifestação podemos então seguir para o segundo ponto deste conteúdo: O segredo para alcançar as tais mudanças.
Quando enfrentamos alguma mudança é natural que sensações como o medo, a angústia e insatisfação nos advenham ao mesmo tempo em que desejamos a tal mudança. Por vezes, até aprece que nos encaixamos naquilo que Freud denominou como “Arruinados pelo êxito” (a citação que abriu o artigo).
Algumas pessoas desejam loucamente mudarem suas vidas e quando a mudança “dá as caras” elas simplesmente parecem apáticas, indiferentes e até tristes por saírem de suas vidinhas e rotinas. Se isso já aconteceu com você não se preocupe! Ter sentimentos de altos e baixos é normal no processo de transição.
Sentir-se amedrontador é comum quando a transformação chega, o comportamento que merece atenção é aquele em que o indivíduo prefere continuar na zona de conforto e ignorar as possibilidades de mudanças.
Diversas serão as vezes que nós teremos noção da necessidade de mudança e entenderemos os motivos delas precisarem acontecer, mas ainda assim nos sintamos receosos, saudosistas e até temerosos. Horas estaremos bem, outrora deprimidos com as mudanças, mas importa que deixemo-las fluírem. E como fazemos isso?
Pensando em te ajudar a enfrentar as mudanças com garra e coragem eu separei três dicas para você nunca mais barrar/bloquear as transformações de sua vida, veja:

(1) Pense positivo.

O segredo para que as mudanças “marquem presença” está na sua mentalidade. Evite focar negativamente nas mudanças quando elas ocorrerem, afinal como vimos anteriormente: a mudança dói e causa desconforto a primeiro momento, pois ela nos tira da zona de conforto para fora da caixa. Então, “aguente o tranco”! E não permita que algumas crenças limitantes permeiem seus pensamentos e suas falas com pessimismo, desistência e ingratidão.


(2) Assuma uma postura diferente.
Se policiar em relação a sua postura diante das mudanças tem relação direta com o sucesso. O auto gerenciamento comportamental e mental é fundamental quando uma transformação chegar e você quiser retroceder ao invés de avançar. E acredite, vontade de voltar atrás não irá faltar! Portanto, vá com medo, mas vá! Ignore suas emoções que deseja te sabotar e continue adiante.

(3) Use e conheça as ferramentas de PNL
A programação Neurolinguística é uma ferramenta efetiva para uma mudança de mentalidade. Muitas pessoas perdem grandes oportunidades porque não conseguem enxergar as possibilidades que transformação que a vida traz e continuam ano após ano no mesmo patamar. A PNL trata os comportamentos e suas programações além de estudar as estruturas que geram certas condutas oferecendo técnicas e ferramentas de intervenção e a maravilhosa possibilidade de remodelar um comportamento.
Portanto, se você tem dificuldades de aceitar as mudanças busque ajuda agora mesmo. Se você deseja saber mais sobre este tema agende sua consultoria online ou acesse o site: https://marcostorresleao.com.br/
O importante é trazer à consciência a suposta resistência que você tem referente às mudanças, logo o primeiro passo é identificá-la e depois tratá-la. Lembre-se o que disse Martin Luther King: Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a escada. Apenas dê o primeiro passo.
Dê o primeiro passo a fim de encarar as mudanças positivamente e no demais tudo se encaixará. Pense nisso!
Marcos Torres Leão
Trainer, Palestrante, Consultor, Master Coach, Analista Comportamental

Inscreva-se aqui e não perca nenhuma novidade!
Insira seu e-mail abaixo para receber nossas novidades
Feito com
Logo da Klickpages