Blog

#EuAcreditoEuFaço





LIDAR COM AS EMOÇÕES GERA NOVOS VALORES E LONGEVIDADE

A psicóloga americana e proponente da meditação budista Tara Brach, professora orientadora e fundadora da organização Insight Meditation Community de Washington, D.C lançou a seguinte pergunta: Como seria se eu pudesse aceitar a vida – este momento – exatamente como é?
Estamos vivendo a Era do conhecimento, porém junto com ela vieram várias doenças de cunho emocional, por isso precisamos nos educar para controlar as nossas emoções. E a ansiedade é um dos sentimentos que mais trazem conflitos emocionais. Que tal falarmos sobre isso?
A ansiedade moderada, aquela que chega, mas traz consigo benfeitorias, até nos ajuda a concluir nossos trabalhos e sonhos, mas quando nos tornamos ansiosos demais (além do normal) começamos a perder o controle de nossas emoções e perdemos também muitas de nossas habilidades, uma vez que começamos a focar única e exclusivamente no EU, ou seja, todas as atitudes são voltadas para o nosso umbigo, para o imediatismo e a satisfação rápida.

Se, como disse Thích Nhất Hạnh, monge budista e escritor: O presente momento é o único no qual nós temos domínio, por que nós continuamos nos preocupando com um tempo que ainda não chegou, ou seja, com um tempo que está por vim e sequer existe ainda?
Vários homens de alto impacto da história no desenvolvimento humano já nos orientavam: “a não andar ansiosos por coisa alguma”. Jesus Cristo foi um deles. Mestre em viver um dia de cada vez, disse: E o vosso Pai Celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas. Eis aqui uma boa notícia: ter acesso ao nosso Poder Superior naquilo que não temos controle.
Mas não parou por ai, baseado em frases que lemos acima, temos vários ícones de diversas gerações que continuam estudando e tentando explicar “como” podemos enfrentar o mal do século, nada menos que a Síndrome do Pensamento acelerado e a Ansiedade. Emoções que tem adoecido a humanidade, desde as crianças até os adultos.
Shaw Bernard, Esopo, Sêneca entre outros filósofos nos alertavam que a “ansiedade e o medo envenenam o corpo”, que “o homem que sofre antes de ser necessário, sofre mais que o necessário”. O fato é que tão pouco do que pode acontecer, acontece realmente, logo, aprender a controlar este ímpeto de ansiedade entre outras emoções que nos sobrevém quando menos esperamos é a proposta deste artigo.

Como lidar com as emoções negativas ou excessivas?

Certa vez li uma frase interessantíssima da Victoria Morgan: Neste momento, há muito tempo. Neste momento, você é, precisamente, como deveria ser. Neste momento, existe infinita possibilidade. Ou seja, o primeiro passo para lidar com as emoções negativas é detectando-as e enfraquecendo-as.

Quando sem motivos ou até mesmo com motivos um sentimento de ansiedade lhe acometer, disparando seu coração, tirando seu sono e até trazendo um ataque de pânico em que suas mãos suam, seus braços formigam e adormecem e a sensação de que uma tragédia está prestes a acontecer surgir, simplesmente foque em sua respiração, bloqueie tais pensamentos (substituindo por pensamentos positivos) e por fim entenda: “neste momento, há muito tempo”!
A melhor maneira de lidar com as emoções é detectando-as. Se você perceber que está agitado, preocupado com situações que nem aconteceram, e talvez nunca ocorra verdadeiramente, esta é a hora de se perceber, dominar a situação emocional e converter os pensamentos.
Especialistas afirmam que as emoções são consequências dos pensamentos, logo, o que você pensa tem tudo a ver com o que anda sentindo, e precisamos lidar com tais pensamentos também. Se, desejamos controlar as emoções, precisamos administrar os pensamentos, a começar por aí.
O Psiquiatra, psicoterapeuta e cientista Augusto Cury afirma que para controlar as emoções contrárias, os pensamentos acelerados (estes que precisamos gerenciar) e a ansiedade precisamos contemplar o belo. Isso mesmo, parar uma ou duas vezes por dia diante do belo e contemplá-lo.
O belo pode ser o por do sol, a chuva que cai, as estrelas, uma flor, o jardim, o voo de uma borboleta entre outras belezas gratuitas que nos cercam. Precisamos praticar a arte da Atenção Plena conhecida também como Mindfulness.

O poeta, jurista e teólogo sufi persa Rumi, disse: Deixe sua mente ir e então fique "consciente". Feche os ouvidos e depois escute. A arte de contemplar o belo e separar três minutos em que você vai respirar lentamente e apreciar algo bonito com Atenção Plena. Parece simples, mas esta prática evita/diminui a ansiedade, o estresse e os pensamentos acelerados.
O Mindfulness, para quem não sabe é a técnica de treinar a Atenção Plena ao momento presente. Por meio da Atenção Plena somos capazes de perceber/detectar pensamentos, sensações corporais e sensações emocionais no momento que surgem e então agir de maneira inteligente ao invés de reagir no automático. Além do mais, esta técnica é a maior ferramenta contra emoções desgovernadas que chega de repente, uma vez que treinamos a atenção plena no aqui e no agora.
O professor Emérito de Medicina Jon Kabat-Zinn disse: A melhor maneira de capturar momentos é prestando atenção. É desta forma que cultivamos mindfulness. Quando aprendemos a controlar as nossas emoções, sejam de ansiedade, pensamentos acelerados, estresse, tristeza, depressão entre outras, tendemos a fazer escolhas conscientes e funcionais.
Regular as emoções nada mais é que, o exercício de perceber os pensamentos – convertê-las na direção que desejamos, e por fim lidar com as sensações de maneira emocionalmente inteligente. Por meio da contemplação do belo podemos criar espaços mentais em situações difíceis. Experimente desenvolver esta habilidade!
Nesta semana ainda experimente, olhar pela sua janela, reparar por instantes e com atenção plena o balançar das folhas, o cheiro do entardecer, a beleza do cair da noite, o vento gélido de inverno, nas pessoas que caminham nas ruas com seus guarda-chuvas, a flor do seu vaso e etc. Pratique a atenção plena para desacelerar, para tirar o pé do acelerador da vida e da correria desta Era apressada.
Se você notar a ansiedade chegando, despeça-a com autoridade de um indivíduo que lida bem com suas emoções, lembrando-se: O presente momento é o único no qual nós temos domínio – Thích Nhất Hạnh.
E que aonde você for, lá você está. No real, no agora, no presente.
Gratidão e até semana que vem.
Marcos Torres Leão
Trainer, Palestrante, Consultor, Master Coach, Analista Comportamental

Inscreva-se aqui e não perca nenhuma novidade!
Insira seu e-mail abaixo para receber nossas novidades
Feito com
Logo da Klickpages